28 de fevereiro de 2011

O arrependimento cristão do nascer até a morte


– O Arrependimento do nascer até a morte.

Texto base: Romanos 8.12-13

Querido leitor, esta afirmação acima, é feita no nascimento e crescimento espiritual do cristão até o dia de sua morte física, é de arrependimento, Jesus nos adverte em Mateus 18.17, que aqueles que não se arrependem, mesmo sendo advertidos, devem ser considerados gentios e publicanos, sendo estes considerados estranhos na fé.

Mas você leitor, até se indaga sobre o que é verdadeiramente arrepender-se, sobre este sentimento que é praticado pelo cristão em seu viver diário, que é caracterizado pela mudança na maneira de agir, de pensar em relação a Deus e ao pecado.

Pois, se nascemos para Cristo e como cristãos dizemos que vivemos para Ele, por conseguinte, se estamos a viver para Ele que nos chamou com eterna vocação, devemos nos arrependermos, se converter da vida que outrora levava, é uma mudança de ação e atitudes, é um viver para agradar a Deus e não mais a si mesmo, fazendo esta prática de devoção à Deus, ser prioridade em sua vida. Como expressou apóstolo Paulo, ao afirmar que não vivia mais Ele, mais sim Cristo era o seu viver. Será que podemos asseverar em nossas vidas tal frase? Reflita!

Querido leitor, antes de prosseguir quero lembrá-lo que cristianismo não é teoria, mas sim é prática, e você tem desenvolvido qual tipo de cristianismo? Teórico ou o prático? Lembre-se do Ide, da recomendação paulina em sermos imitadores de Cristo, do sacrifício de Jesus, consumado ali na cruz do Calvário, pare e reflita um pouco, como na carta aos Coríntios, Examine-se pois a si mesmo, olhe para dentro de você neste instante e faça uma sondagem, como tem se portado como cristão.

E para o cristão verdadeiro, para o regenerado, o convertido por Deus entende que, mesmo em suas dificuldades, em sua luta pessoal e íntima contra os seus desejos e sentimentos carnais, é necessário sempre arrepender-se, pois pecamos, mas Jesus derrama em nossos corações o bálsamo de Gileade, que nos molda conforme à sua imagem e semelhança.

A vida do cristão diária é um viver de arrependimento de suas ações aqui praticadas, para com o Pai, onde por intermédio de Jesus Cristo, o cristão é justificado e é alertado pelo Espírito Santo, que nos convence do pecado, do juízo e da justiça divina.

Portanto querido leitor, não se assuste se você vive a se arrepender, vive aos pés da cruz, submisso à vontade Dele, pois a nossa vida é de arrependimento constante e assim, opera Jesus em nossos corações, derramando a sua Graça, fazendo-nos a crescer na graça e conhecimento de sua verdade.

Que o Senhor Jesus continue a operar em os vossos corações, moldando-nos sempre e, se você não se arrependeu ainda hoje, que possas fazê-lo de coração voluntário, com alegria no coração, demonstrando o seu amor para com Deus.

No amor do Pai,

William Pessôa

Qual o motivo do seu choro?




“E caindo em si, desatou a chorar” Marcos 14.72

O que é chorar? Definiria eu que, chorar é demonstrar a manifestação de algum sentimento, emoção forte que o ser humano, vivencia, podendo ser de alegria ou de tristeza, provocado por emoções extrínsecas ou intrínsecas de si mesmo.

Neste versículo acima, temos a narrativa do discípulo Pedro, que após negar a Jesus, e ver que se cumprira a palavra profética de Jesus, no cumprimento a glória de Jesus foi-lhe manifesta e então ele caiu em si, por isso chorou.

Este choro foi de angústia, foi um choro de arrependimento, um choro de vergonha, um choro de decepção consigo mesmo. Foi um choro que Pedro viu o seu estado pecaminoso, a sua inconstância na fé, mesmo vendo Jesus operar milagres em vida dos seus, na sua própria vida e vendo muitos desconhecidos sendo abençoados por Ele, ouvindo as suas mensagens, mas a incredulidade ainda pairava na vida de Pedro.

A inconstância praticada por Pedro e, muitas vezes por nós também desenvolvidas, pois em nada nós somos diferentes de Pedro, quem sabe até coisas piores fazemos, mas esta inconstância é uma herança pecaminosa, herdada de Adão, quando de sua queda ali no jardim do Éden.

Mas afinal querido leitor, por que choras demasiadamente? Que te sucede? O que te sobreveio? Na vida de Pedro, foi o choro de arrependimento. Por ver que descumprira uma promessa pública por ele feita a Jesus. Mas nesta inconstância de Pedro, cumpriu-se as palavras proferidas por Jesus, com riquezas de detalhes, tampouco, por isso Jesus castigou-o, antes o olhar de misericórdia, o semblante humilde de Jesus, que já de antemão o perdoara, ficou registrado na memória de Pedro.

Querido leitor se você também está a chorar algum choro de decepção, choro de tristeza, de angústia, de perda, quero te lembrar que Jesus é o remédio para nossas dificuldades, em S. Mateus 11.28-30, pede que se aproximem dele os cansados, os oprimidos, os angustiados, os enfermos, que Ele promete dar o alívio, o refrigério, que o ser humano procura em suas indagações e conflitos existenciais.

Enfim, aproveite o momento e mesmo sob soluços, possas você ter em mente que Cristo ainda continua de braços abertos para recebê-lo de maneira carinhosa, Ele te perdoa, cura as tuas iniqüidades, te justifica, te defende perante o Pai, ele é o vosso advogado não para com um Juiz, mas para com Deus, você compreende? Jesus te purifica, te traz de volta alegria, o brilho do sorriso no seu rosto, o vigor, o ânimo Jesus fornece isto e muito mais em sua vida.

Pare de chorar, transforme este choro em sorriso alegre e vigoroso, adorando ao Senhor, que tanto tem feito e está a fazer por nossas vidas. Que a Graça do Senhor Jesus venha a transbordar o vosso viver, operando este milagre no seu coração.

Querido leitor, que neste breve devocional, possas cair em si, sendo manifesta em sua vida, a graça e a glória do Senhor, pois assim, serás beneficiário tanto da misericórdia, quanto da justiça divina.

Que o Pai celestial, continue a irradiar o vosso viver, transformando nossos choros em alegrias sem fim, na paz indizível que o apóstolo Paulo expressou aos filipenses.

No amor do Pai,

William Pessôa.

27 de fevereiro de 2011

O que tens te separado do amor a Cristo?

Romanos 8.35-39.

Querido leitor, muitas coisas nesta vida, acabam por separar o homem de Deus, o que causou a separação lá no Éden foi o pecado, após sermos regenerados, as atribulações, as inconstâncias, as angústias, ainda acometem alguns cristãos causando-lhes separação do amor a Cristo, mas isto só acontece quando os Cristãos fazem como Fez Pedro, ao avistar Jesus andando sobre as águas, Jesus autorizou-o a vir ao seu encontro, andando sobre as águas, porém Pedro, deixou de olhar para Jesus, mesmo por um momento e olhou para as ondas e então afundou.

Querido, quando deixamos de olhar para Cristo, que é o autor e consumador de nossa fé, passamos a olhar para as dificuldades da vida e acabamos por valorizá-las muito e damos atenção especial a estas adversidades, em detrimento ao amor a Cristo.

Por isso o salmista disse no Salmos 103.2, Bendize ó minha alma ao senhor e não te esqueças de nenhum dos teus benefícios, pois fazendo isto teria forças e motivação para superar todas as dificuldades por ele enfrentada, pois teria em sua memória recordações de vitórias, de bênçãos e milagres operados por Deus em sua vida.

Em Lamentações 3.21 onde o escritor expressa o seu desejo em trazer à sua memória aquilo que lhe traz esperança, logo mais nos versículos subseqüentes, afirma que, bom é esperar no Senhor a salvação e isto em silêncio, bom é o Senhor para os que nele esperam.

Então querido leitor, espere, suporte as adversidades que surgem em sua vida, pois elas servem para exercitar a nossa fé em Deus, nos moldando conforme a vontade do Pai.

Portanto, mantenhamos os olhos fixo no Mestre, olhando sempre para o abençoador e doador de nossas vidas, deixando de lado todo o embaraço, tudo aquilo que nos distrai, nos entristece, pois Ele é a nossa alegria.

Querido leitor, que nada venha nos separar do amor de Cristo e possamos fazer a mesma assertiva declaração do apóstolo Paulo, mas que a façamos com convicção, demonstrando esta convicção em nosso viver.

Que o Senhor continue a falar melhor em nossos corações.

No amor do Pai,

William Pessôa

26 de fevereiro de 2011

A sepração da luz e das trevas


Querido leitor, sempre ouvimos falar sobre esta separação, da Luz e das trevas, que desde o início da criação viu Deus que a luz era boa, fazendo então a separação entre a luz e as trevas.

Ao analisarmos as palavras de Jesus, conforme escrito está em S. João 8.12, que Jesus nos afirma: “Eu sou a luz do mundo; quem me segue não andará nas trevas; pelo contrário, terá a luz da vida”.

Entendemos que Jesus é a luz, mas não uma luz qualquer, Ele é a luz da vida, a luz da plenitude, que irradia com intensa claridade. E Jesus nos diz que quem o seguir, desfrutará desta claridade, pois Ele é a claridade, quem não o seguir viverá em trevas, perdendo então a luz, a claridade que nos conduz à vida eterna.

S. João 1.4-5, também nos diz que: “A vida estava nele e a vida era a luz dos homens. A luz resplandece nas trevas, e as trevas não prevalecem contra ela”.

Observemos que o ser humano, tem uma necessidade existencial dentro de si, que é a busca pelo prazer, a busca pela alegria, é completar este vazio que carrega consigo, e este vazio é em seu estado humano, uma escuridão profunda, conforme descrito em Atos 26.18, quando Paulo dá o seu testemunho ao Rei Agripa, sobre a sua conversão e o milagre operado por Jesus em sua vida, ao lhe abrir os olhos e o converter das trevas para a luz. Ou seja, o ser humano, por si só, caminha de olhos fechados na escuridão, descendo em direção ao inferno.

Quero dizer à você amigo leitor que Jesus é a luz, Jesus é a vida, que nos preenche, que nos ilumina e, como nós na qualidade de discípulos do Senhor Jesus, somos herdeiros com Ele, por isso, já resplandecemos também a luz de Cristo em nossas vidas, como que espelhos, por isso estamos aqui na terra, para refletir a imagem de Cristo Jesus em nossas vidas. Somos apenas instrumentos usados por Ele, para glorificar o Seu nome.

Por isso que também em nosso viver, devemos ter separação para com as trevas, andamos juntos, mas não misturamos, pois que comunhão há a luz com as trevas? Você consegue entender porque és separado em Cristo?

Digo mais, os seus olhos espirituais foram abertos, a glória da majestade de Jesus foi manifesta em sua vida, por isso, não conseguirás mais, apagar esta luz, poderás até camuflar, mas apagar jamais, pois esta luz é iluminada pelo Espírito Santo que Jesus nos deixou como sendo o nosso consolador, que nos convence do pecado, da justiça e juízo divino.

Portanto, querido leitor, você é luz, por isso não consegues mais se juntar as trevas, até porque, fostes convertido em uma nova pessoa, agora já não és mais criatura de Deus, mas sim, és agora por adoção, chamado de filho de Deus, portanto, és luz em meio a este mundo tenebroso, refletindo a imagem do Pai celestial.

Que o Senhor continue a falar melhor em nossos corações.

No amor do Pai,

William Pessôa

25 de fevereiro de 2011

A sós com Deus!




Querido leitor, existem momentos em nossas vidas que precisamos ficar a sós com Deus, é necessário que nos afastemos de tudo o que nos rodeia e fiquemos a sós com Deus. E nós temos dificuldade em o nosso viver de exercitarmos este proceder. Pois o nosso eu reluta em ter este particular com Deus.

Quando me refiro à um particular, me dirijo à um momento específico e direcionado totalmente para Deus, não expresso aqui os momentos em que em nosso dia, fazemos uma pausa e oramos ou então consagramos, mas mal acabamos de assim proceder, já retornamos às nossas atividades, ou seja, em algumas situações, fazemos a pausa, já pensando no que iremos dar continuidade, não conseguindo exercitar um devocional por completo à Deus, sabe querido leitor, me refiro àquele momento em que você se desprende de tudo e de todos e volta-se completamente ao Criador, para adorá-lo, para conversar com Ele, para escutar Deus falar com você, para meditar na sua Palavra.

Vários personagens da bíblia Sagrada, assim procederam, alguns poucos de forma voluntária, outros mais foram levados por Deus, à situações extremas, para que se voltassem para Ele. No início achamos que estamos a passar por densas nuvens, mas depois vivenciamos, contemplamos o agir e o amor divino, que tem sido demonstrado em nosso viver. Deus nos ama e como diz o ditado popular: “Quem ama, cuida”, Deus que é perfeito e Nele não há variação alguma, Ele nos ama de forma incondicional, por isso, nos chama a este particular, a este momento a sós com Ele.

Ezequiel foi preciso ter um particular com Deus no vale, Jacó teve sua experiência pessoal e sozinho com Deus em Betel, onde teve a visão e as promessas de Deus para a sua vida; Elizeu foi conduzido ao ribeiro de Querite por três anos; Muitas vezes nos separamos de Deus, quando não, passamos a dividir nossa devoção ao Abençoador com as bênçãos por Ele nos dada. Neste momento, Deus nos conduz a um particular.

Queridos, como é bom quando passamos por um particular, por um momento a sós com Deus, percebemos que nada somos na Sua presença, então, a sua glória é manifesta e percebemos a nossa condição de pecador, como aconteceu em vida de Pedro, quando da ocorrência da pesca maravilhosa, onde o discípulo pediu para que Jesus se afastasse, pois era o discípulo pecador.

Naquela experiência pessoal vivenciada pelo discípulo Pedro, qual já tinha presenciado em vida de sua sogra, mas não em sua vida pessoal, ele pediu para que o Mestre se afastasse, pois viu manifesta a glória do Senhor Jesus em seu viver.

Querido leitor, se o Senhor ainda não o conduziu a um particular com Ele, não espere Ele te conduzir, vá de forma voluntária com toda a tua alma, força, sentimento e pensamento, ou seja, de todo o teu coração, e tenhas certeza de que uma oferenda voluntária Deus jamais rejeita.

Aproveite a oportunidade agora querido leitor e tire um particular, esteja a sós com Deus e serás recompensado por Ele no seu viver. Conte para Ele as suas dificuldades, o seu viver, o seu pesar e O ouça a falar com você, se manifestando e fazendo conhecidos os sonhos que Ele tem para a sua vida. Tenhas certeza, neste momento a sós com Deus, você será muito beneficiado, quando efetuado prioritariamente de forma voluntária.

Fiquemos no amor do Pai,



William Pessôa

É possível viver na presença do Senhor, sem o conhecer?




Querido leitor, esta pergunta pode até soar estranho aos nossos ouvidos, como pode uma pessoa viver na presença do Senhor e não conhecer a sua voz, não o conhecer realmente, parece um contraditório, mas a formulemos a afirmação de seguinte forma então, “Conhecendo a voz de Deus!”

Ao observarmos atentamente a vida do jovem Samuel, conforme registrada está em I Sam. 3, podemos notar claramente que o jovem Samuel, servia ao Senhor, deitava-se ao lado do sacerdote Eli, dormia dentro do templo, como era o seu costume, junto a arca, ao lado da Lâmpada de Deus.

Isto nos mostra o quanto zeloso, cuidadoso, de bom caráter, de respeito e cumpridor dos afazeres religiosos Samuel era, mas tudo o fazia por tradição, com voluntariedade, porém, o jovem Samuel jamais desfrutara de um encontro pessoal com Deus.

Querido leitor, existem momentos em nossas vidas que estamos semelhantes a Samuel, envolvidos, comprometidos na Obra do Senhor, mas fazendo com as nossas forças, zelo e tradição transmitidos para nós, ou mesmo estes adquiridos com o tempo.

É de se observar que, Samuel era um servo atento, humilde, fiel, que crescia na presença do Senhor, reconhecido pelo povo, mas, não tivera ainda uma experiência pessoal para com Deus, somente se deliciava e ouvia as experiências de outros, que lhe eram passadas através de testemunhos e relatos dos experimentados. Até porque naquele tempo, as visões não eram freqüentes e a Palavra do Senhor era mui rara.

Quantas vezes não estamos na mesma condição de Samuel, ou mesmo, nós conhecêssemos alguém que passa ou até já passou por esta experiência.

Percebemos no texto que o jovem Samuel, não conhecia a voz de Deus, pois, ainda não lhe tinha sido manifesta a Palavra do Senhor, mas o jovem Samuel, sabia que a voz lhe era familiar, tanto que por duas vezes levantou-se e foi em direção ao Sacerdote Eli, qual era já idoso e quase sem visão física, tanto quanto espiritual, mas foi quem em sua pouca visão espiritual que conseguiu enxergar e distinguir a voz, fazendo o jovem Samuel entender que era Deus quem falava com ele.

Quando Samuel é chamado pela terceira vez, mesmo sem conhecer, mas por obediência e atenção às palavras do sacerdote Eli, respondeu; “Fala, porque o teu servo ouve”. Foi quando então, Deus se revelou na vida de Samuel, fazendo-o conhecer da profecia, sobre o que haveria de acontecer tanto em Israel, como na casa do sacerdote Eli.

Querido leitor quando o Senhor fala, não deixa dúvidas, percebemos no texto que o jovem Samuel não estremeceu, tampouco duvidou da Palavra, certo é que a repassou ao sacerdote Eli, o qual prontamente ao ouvir o relato da profecia, disse com propriedade, é o Senhor quem falou, que faça o que bem lhe aprouver.

Queridos, mesmo muitas vezes pelo motivo de nós não termos passado, vivenciado alguma experiência pessoal, particular com Deus e, quando Ele se manifesta em nosso viver, dúvidas não pairam sobre as nossas cabeças, nós podemos até ficar atônitos por um breve momento, mas sabemos mesmo muitas vezes sem distinguir, perceber claramente que mesmo sem conhecemos, notar que a voz é familiar. O sotaque, a entonação, nos remete a memória que a voz é de alguém que nos conhece.

Que nós possamos sempre permanecer com os nossos ouvidos espirituais atentos, abertos, para ouvir a doce e familiar voz de Deus, falar aos nossos corações e, quando você ouvir esta voz a ecoar em sua vida, possa dizer prontamente como disse o jovem Samuel: “Fala Senhor, que o teu servo ouve”.

Que o Senhor Continue a abençoar cada dia mais a sua vida e, que nós possamos crescer na presença do Senhor como cresceu Samuel, em graça e sabedoria, conforme relatado no versículo 19, onde afirma que o Senhor era com ele, e nenhuma de todas as suas palavras deixou cair em terra. E mais, em todo o Israel, Samuel foi reconhecido como profeta de Senhor, pois soube reconhecer a voz daquele que com ele falou.

Finalizo este devocional dizendo a você, querido leitor, que existe a possibilidade de servir a Deus e não conhecer a sua voz, mas hoje, Deus faz com que você seja desperto e fique alerta, pois Ele fala ao teu coração, que possas reconhecer esta voz, familiar, soando dentro de você, ouça Deus falar contigo.

No amor do Pai,

William Pessôa

23 de fevereiro de 2011

E agora, para onde irei eu?




Querido amigo leitor, quantas vezes você mesmo já fez esta pergunta? Em meio às encruzilhadas da vida, em meio às situações nebulosas, momentos turbulentos que fugiram de seu controle, de sua experiência, de seu conhecimento.

Situações que assim nos deixam desorientados, costumam nos dar calafrios, sudorese anormal, tonturas, dor de cabeça, em uns perdem o apetite em outros já aguçam e, assim por diante, cada ser humano reage de certa forma, mas certo é que, ficamos desequilibrados por completo e, uma angústia, ansiedade toma conta de nós, querendo que tomamos uma decisão rápida e ao mesmo tempo tememos por este desconhecido surgido em nossas vidas.

Mas não se assuste, pois quando você se encontrar nesta situação, faça como o salmista, no Salmo 84.7, que nos diz: “Vão indo de força em Força...” então meu querido leitor, prossiga avante, mas observe o que diz o salmista porque eles vão indo de força em força, o detalhe é que, cada um aparece diante de Deus em Sião, por isso vão indo fortalecidos, prosseguindo, pois estão indo para se encontrar e regozijar com Deus. Então vá indo, mas com Deus à sua frente e fazendo sempre que o Nome Dele seja glorificado em seu viver, permitas que possas prosseguir fazendo com que o seu viver pessoal seja um testemunho vivo da força obtida em Deus.

Aproveite, se estás em uma bifurcação da vida, lembre do salmista quando se viu em apuros e clamou: “Elevo os meus olhos para os montes, de onde me virá o socorro?...” Mas assim como ocorreu com o salmista, possa acontecer contigo também neste momento, que possas elevar os seus olhos aos céus e responder para o seu problema, para a sua dificuldade, que o seu socorro está no Senhor Deus, que habita nos céus, que é o Deus Criador do universo, o qual nos tens gravado na palma de suas mãos, que nos guarda como a menina dos seus olhos, aquele que é o Leão da tribo de Judá, que tem colocado anjos ao nosso redor e deixado o Seu Espírito Santo, para nos consolar, nos dando direção e discernimento para alçarmos vitória e sucesso, não digo uma vida tranqüila, mas sim uma vida vitoriosa, uma vida de poder.

Portanto querido leitor, neste momento eleve os seus olhos aos céus, erga a cabeça, encare a dificuldade no poder que há no nome de Jesus, e converse com Ele, Ele, Jesus te entende como ninguém pois estas provações que caíram sobre a sua vida, Jesus foi experimentado também, portanto, Ele sabe do tamanho do seu problema, da sua indagação, da sua inquietação, mas neste momento Ele satisfaz o seu coração, dando refrigério, paz, alívio, para a sua alma, mantenha um particular com ele, assim como você está lendo este texto humilde, faça uma conversa informal com Jesus, não necessariamente uma oração de joelhos por meia hora, mas meu amigo, tenhas uma conversa franca e aberta com Jesus, confesse para Ele as suas dificuldades, fale qual tem sido o seu dilema e Jesus dará o socorro, a resposta, a direção que queres tomar nesta jornada da vida.

No amor do Pai,

William Pessôa.

Aproxime-se para ouvir




Eclesiastes 5.1: “...chegar-se para ouvir é melhor do que oferecer sacrifícios de tolos, pois não sabem que fazem mal”.

Querido leitor, aproxime-se para ouvir pois o ouvir, é uma atitude de quem sábio é, de quem busca conhecimento, de quem é prudente, quero te convidar a aproximar de Deus, para ouví-lo a falar ao seu coração.

Você pode me perguntar, como poderei me aproximar de Deus, como o poderei ouvir? Olhe meu amigo, te digo que a natureza em si, proclama a grandiosidade de Deus, proclama o Seu Poder. Hoje desculpas você não tem para dizer que não tem a oportunidade de ouvir falar sobre Deus, sobre as coisas celestiais, pois a mídia, seja ela impressa ou não, aqui mesmo pela internet, você tem a oportunidade de ouvir, ler e até meditar, no que Deus tem a falar para o seu coração.

Este chegar-se para ouvir, leva-nos a entender que, este aproximar refere-se à alguém que está dedicando atenção especial, com cuidado e muito zelo, para ouvir a mensagem, onde a mera atitude respeitosa de ouvir, que quer dizer, parar, reverenciar, demonstra já uma submissão e reconhecimento da grandeza e poderio de Deus.

A Palavra de Deus nos diz que a fé vem pelo ouvir e ouvir a palavra de Deus, que você possa ouvir a verdadeira Palavra de Deus, que implantará a fé em o seu coração, fazendo-o desfrutar desta alegria sem par que só Ele pode nos dar.

Queridos por outro lado, vemos aqueles que vem à Deus de forma apressada, preocupados com a correria diária, com os compromissos assumidos para com a sociedade e se esquecem de ouvir a voz do Mestre que fala através dos cânticos, através dos salmos, através da palavra profética proferida no altar, estes, por sua vez, preocupam-se apenas, em oferecer o seu sacrifício, muitas vezes até um sacrifício bem pesaroso, mas o fazem por mera obrigação, por tradição, por zelo religioso, não o fazendo com um coração voluntário, com alegria de alma. Você compreende a mensagem?

Já dizia o profeta que o obedecer é melhor que sacrificar, então meu amigo leitor, obedeça à voz do Mestre, ouça Ele falar ao seu coração, mesmo no silêncio Ele fala com você. Esteja atento, pois a voz Dele é suave, mansa e tranquila, para com a sua vida, Ele uqe que você O ouça. Ou preferes como os tolos, oferecer sacrifícios pesarosos? Cuidado, pois poderás acender a ira de Deus sobre a sua vida? Deus ainda está usando de misericórdia para com você, não perca esta oportunidade de ouví-lo.

Li certa vez em um periódico onde alguém que não me recordo, afirmou que quando estamos a orar, estamos a falar com Deus, mas quando estamos a meditar na sua Palavra, Deus está a falar fortemente aos nossos corações. Neste mesmo raciocínio, eu deixo para a sua reflexão, se terias você coragem, pra investir tempo maior na meditação da Palavra, pra que Ele fale diretamente ao seu coração, de forma estritamente particular, pessoal e direcionada especificamente à sua vida, à sua necessidade.

Querido leitor, não me estenderei por demais, senão serei extensivo no escrever, tornando a sua leitura um tanto quanto cansativa, mas que o Senhor Deus, continue a falar ainda mais ao seu coração.

No amor do Pai,

William Pessôa

O Desejo anelante por Deus

Salmodiando com o salmista no Salmos 63

Observamos neste salmo que Davi nesta época provavelmente era Rei e estava fugindo de Absalão, em meio à uma tormenta em sua vida, estava sendo perseguido, pressionado.

Mas em meio as tribulações, guerras da vida, Davi não se deixou abater, poderia ter cantado salmos que outrora fizera, como uma repetição e numa liturgia efetuado o ritual religioso, em um culto comum, mas não, Davi, continuou a exercitar a sua fé, a sua comunhão para com Deus.

É em bom tempo, observarmos que Davi estava no deserto, mas mesmo assim, ele cuidadosamente escreve este salmo, onde a sua vida não estava deserta, ele mantinha uma comunhão com Deus, Davi depositava a sua confiança em Deus, demonstrando nos primeiros 8 versículos o seu desejo, decisão e devoção à Deus.

Tanto querido leitor que Davi expressa no salmo 63, no versículo 1, o seu grande DESEJO, ao afirmar que “a minha alma tem sede de ti”. Aqui neste versículo a salmista afirma este desejo por opção, por confissão, reconhecendo a sua necessidade e sua dependência para com Deus e, esta dependência é intensa, onde deixa subtendido o seu desejo de buscar a Deus com toda a sua força, desejo, sentimento e alma, lembras que a Bíblia nos afirma que quando verdadeiramente buscarmos a Deus, com todas as nossas forças, entendimento, sentimento e alma, nós seremos achados? Então querido leitor, faça como o salmista, busque a Deus com todo o seu esforço e serás agraciado por Deus.

Já no versículo 5, o salmista afirma que a sua alma se fartará em Deus, demonstrando aqui a sua DECISÃO de se fartar em Deus.

No versículo 8, o salmista expressa a sua DEVOÇÃO à Deus, onde diz, “a minha alma te segue de perto”. Esta busca da alma do salmista por Deus, ela segue de forma vigorosa, em que busca a Deus demonstrando toda a sua devoção.

Que eu e você querido leitor, possamos assim como salmista, salmodiar a Deus, demonstrando o nosso desejo, a nossa decisão e a devoção da nossa alma à Deus.

Que o Senhor Jesus continue a nos agraciar sempre e, nós a cada dia mais, salmodiando sempre com alegria, fervor, temor e tremor, com empenho total.

No amor do Pai,



William Pessôa

22 de fevereiro de 2011

Você sabe qual é a sua hora?


Querido leitor estava a ler um versículo no livro de Eclesiastes 9.12a, que nos diz: “Porque o Homem não sabe a sua hora...” fiquei a imaginar quão profundo nos é, este versículo, embora todos nós, humanos sejamos conhecedores desta verdade bíblica, não atentamos retamente e com muita atenção para esta realidade, onde neste viver terreno capitalista e moderno, onde a tecnologia, nos impulsiona automaticamente a sermos “on-line”, do tipo toma lá, dá cá, ficamos presos às coisas efêmeras da vida, profissão, compromissos, etc.


Nesta correria diária, acabamos por negligenciar nas coisas espirituais, no cuidado para com a nossa alma qual é eterna, e sobre esta, prestaremos conta diante de Deus, passamos a fazer planos, projetos s correr atrás da concretização de sonhos, que fique bem claro, também tenho sonhos e projetos, porém, não os poderei jamais colocá-los à frente das coisas espirituais, da minha comunhão com Deus.

Todos nós devemos estar preparados para a nossa hora, preparados para a hora de nosso encontro com Deus, a hora de prestarmos conta de tudo quanto nos fora confiado por Ele, pense nisto por alguns instantes, reflita de coração, pois a responsabilidade confiada a você é tamanha e talvez ainda não apercebestes.

Já há tempos Deus ordenava ao profeta Amós para que alertasse o povo israelita, para que preparassem para o encontro com Deus, e você, está se preparando hoje para o seu encontro com Deus? Para a sua hora de decisão? Para a hora de prestação de contas?

A hora de Deus em sua vida é chegada para que você se reconcilie, para que você o confesse como sendo o seu senhor e salvador, aproveite este momento, não perca esta oportunidade, pois o tempo está passando, a hora está a se adiantar e como um trem com um horário marcado para a partida, você em seus afazeres pode se perder, se atrasar e perder o trem, perder o bilhete, perder o embarque e se perder o embarque não haverá mais segunda chance, tampouco segundo horário a seguir.

Querido leitor, enfatizo novamente à você que, o tempo, a hora pertencem somente à Deus, somos eternos dependentes Dele em o nosso viver, portanto, aproveite que a porta da graça está aberta para a sua vida, ofertando nesta hora, gratuitamente a salvação, o alívio, a segurança, o apoio que tanto procuras, aproveite esta é a sua hora, este é o seu momento.

Querido leitor, corra, apresse em vir nesta hora para os braços de Cristo, pois você não saberá quando chegará a hora final para a sua vida, e duro fim é para aqueles que chegam à hora final de suas vidas sem Cristo, passarão a eternidade num lugar fétido, escuro e de fogo ardente, mas se você neste momento optar por Jesus que te chama e te acolhe do jeito que és, pois Ele te compreende melhor que você mesmo quando estás a autoanalisar, Cristo te oferece vida eterna, vida de paz, de gozo, de plenitude. Não perca tempo, segure com todas as suas forças esta é a hora pra que você viva uma virada em sua vida.

No Amor do Pai,

William Pessôa








O que tens guardado no teu coração?




No livro dos Salmos, o salmista no Salmo 119.11, nos diz que “guarda a sua Palavra no seu coração, para não pecar contra ti”.

Querido leitor, quantas coisas guardamos em nossos corações, vivemos dias atribulados, dias corridos, vivemos apressadamente, onde decisões devem ser tomadas de imediato, situações diárias e constante que exigem de nós uma atenção e acompanhamento detalhado de nossos projetos.

E neste viver diários, nos esquecemos facilmente que somos falhos e dependentes do Criador, esquecemos que somos imperfeitos, somos corruptíveis, onde nesta busca por ralização pessoal, ou mesmo nesta competição da vida pela sobrevivência humana, tomamos decisões próprias que não são segundo o coração, segundo a vontade de Deus e então, pagamos um preço alto por nossas escolhas, pois o nosso querer humano é este, totalmente diverso do querer divino, que é santo, perfeito e incorruptível.

Já dizia o sábio no livro de Eclesiastes 7.8 que “a opressão faz endoidecer até o sábio...”, por isso a pergunta acima no texto, pra que possamos refletir sobre o que verdadeiramente temos guardado em nossos corações. Pergunte a si mesmo, O Que tenho guardado em meu coração? A depender da sua resposta saberás se estás a agradar a Deus ou não, pois conseguirás fazer um balanço de coisas positivas e coisas negativas, faça esta revisão em seu interior.

Pois nesta vida que levamos, na rotina diária, casa, trabalho, casa, acabamos por cumular com muitas coisas, que nos sobrecarregam, nos oprimem, nos deixam abatidos, entristecidos, atpe mesmo fracos na fé e quem sabe, até porque não dizer, incrédulos por determinado momento, mas querido leitor, Jesus sabe de sua situação, Ele te ama do jeito que você é que quer realizar uma transformação por completo em seu viver. Mas Jesus é educado, Ele quer que você se esforce, reconheça que Ele te chama, te espera de braços abertos, aproviete a oportunidade que o Mestre te dá, venha até Ele, saiba que Ele continua a te esperar de braços abertos, não fazendo conta alguma de seu passado, de seu proceder, Ele te ama assim mesmo com todos os seus defeitos, Ele quer te refazer, Ele quer restaurar a sua vida, a sua família, o seu casamento, a sua profissão, Ele quer restaurar a sua comunhão para com Ele, venha depressa, este é o momento!

Quer uma liberdade de vida, quer encontrar a felicidade, a paz, o refrigério? Então guarde, pratique e exercite a Palavra de Deus em seu coração, pois a Palavra será o alimento para a sua alma, a bússola para o seu viver, será o manual de instrução para as situações inusitadas e desconhecidas que aparecerão em sua vida, faça como o salmista e afirme também que a palavra é lâmpada para os seus pés e luz para os seus caminhos, para que não venhas tropeçar.

Querido que após ler este texto devocional, você possa verdadeiramente guardar tão somente o amor à Deus em seu coração e assim sendo, você terá uma vida mais feliz, alegre e em plenitude, pois Deus é tudo, Ele é o Criador, Ele é a perfeição e, por meio de seu filho Jesus, que é o nosso mediador, Ele nos concede dádivas divinas, portanto, reveja o que tens guardado em seu coração, ainda é tempo de fazer uma arrumação ai dentro de você, é tempo de rever conceitos e prioridades em seu viver. Se sentes medo, tens dificuldade, não se assuste, Jesus te fortalece e te orienta em todo o proceder, submeta-se à vontade Dele pela sua Palavra e serás vencedor.

Guarde sempre em seu coração a Palavra, o Evangelho, que se resume no amor de Cristo, portanto que o Amor à Deus, esteja guardado sempre em seu coração, pois em você O amando serás uma pessoa diferenciada e abençoada por Ele.

No Amor do Pai,

William Pessôa


O que você deixa por amor, por devoção ao Pai?




Querido leitor, esta pergunta parce ofensivo, mas ao mesmo tempo ela tem um teor reflexivo de suma importância para que possamos nos avaliar sobre a nossa devoção, o nosso amor à Deus.



Se devemos amar à Deus acima de todas as coisas, isto é, em primeiro lugar, fazer Dele o centro de nosso viver e de nossas vidas, então, certo estamos que, para que isso ocorra em o nosso viver cristão diário, necessário será abrirmos mão de nossas devoções pessoais, dos prazeres terrenos e carnais.



O intrigante é que sabemos desta verdade, mas o nosso “EU”, carnal, adâmico, pecaminoso, terreno, não quer de forma alguma fazer a vontade do Pai, por conta da herança pecaminosa, do pecdo que em nós habita, nos fazendo esta separação para com o Pai celestial.



Mas graças ao Bom e Eterno Deus que, por sua misericórdia e graça derramada em os nossos corações, nos ofertou a dádiva da salvação gratuitamente, para que por meio do sacrifício de seu único filho Jesus, nós pudéssemos ser salvos, alcançados por este favor imerecido, que voluntariamente Ele nos amou, nos escolheu para si.



Temos na Bíblia, bons exemplos a serem seguidos de personagens bíblicos, pessoas que demonstração uma grande devoção ao Pai, onde realizaram alguns gestos que claramente provaram ao mundo o seu amor á Deus, colocando-O acima de todas as coisas.



Citaremos Moisés que por Fé, deixou tudo, quanto a José, este suportou tudo, rejeição, prisão, calúnia, ciúmes, tudo em esperança no amor divino, já com Daniel, este triunfou sobre tudo em obediência à Deus.



Agora querido leitor, com todo o respeito pergunto a você de coração e espero que faças esta pergunta consigo mesmo, sendo o meis franco possível em sua resposta, que deve ser pessoal até mesmo de forma introspectiva, a seguinte formulação: “ O que voc~e tem deixado por amor a Deus? Como tens demonstrado para Deus esta sua devoção? Qual tem sido a intensidade da mesma? Superficial ou profunda? É algo muito sério a pensarmos, refletirmos, reveermos conceitos e conduta em o nosso proceder diário.



Precisamos nos esforçar, renunciar os nossos desejos, o nosso “eu”, para que Deus verdadeiramente venha a reinar também em o nosso viver diário, pois Ele é a razão do nosso existir. No papel é fácil falarmos, demonstrarmos, mas precisamos tirar do papel, fazer esta demonstração em nosso dia-a-dia, demostrando assim o nosso testemunho de fé cristã, andando no amor do Pai, que ele de forma gratuita implanta em nossos corações.



O temos a Deus é o princípio da sabeoria, então querido leitor, sejas sábio também, ame a Deus, demonstre esta sua devoção para com o Pai, primeiramente em seu coração, pois do coração procedem as reais intenções, os sentimentos, então demosntre de forma sincera, com toda a sua força, entendimento e entusiasmo, como o seu objetivo maior.



Que o Senhor Deus o ajude neste seu esforço, para demonstrar à Ele a sua devoção, a intensidade de seu amor pessoal para com Ele, que Deus continue a trabalhar de forma poderosa em seu coração.



No amor do Pai,



William Pessôa




Para onde estás olhando?


Querido leitor quero te perguntar sobre onde estás a olhar, para onde você está a contemplar, o que tem tens ofuscado, prendido a sua atenção?

Em nossa vida diária, surgem adversidades, momentos conturbados, que nos fazem olhar para direções diversas, por isso, nestas situações, passamos a olhar para as situações, para os momentos adversos, para as complicações, coisas essas que acabam por tirar o nosso olhar de Cristo a quem devemos estar olhando sempre.

Deixamos de olhar para o autor e consumador da nossa fé, que é Cristo Jesus, passamos a olhar para as ondas da vida, e acabamos por afundar, mas basta tão somente voltarmos os olhos para Cristo e seremos vitoriosos.

Quero te convidar a olhar para trás, e contemplar o Senhor que morreu por mim e por você, conforme relatado em Isaías 45.22, que diz: “Olhai para mim e sede salvos, vós, todos os limites da terra; porque eu sou Deus, e não há outro”.

Que possas também querido leitor vir a olhar para cima, para o alto, conforme explicitado em Hebreus 12.2, que nos diz: “olhando firmemente para o Autor e Consumador da fé, Jesus, o qual, em troca da alegria que lhe estava proposta; suportou a cruz, não fazendo caso da ignomínia, e está assentado à destra do trono de Deus”.

Na carta do apóstolo Paulo a Tito, capítulo 2, versículo 13, nos encoraja a olhar para frente, para aquele que virá, vejamos: “aguardando a bendita esperança e a manifestação da glória do nosso grande Deus e Salvador Cristo Jesus”.

Querido leitor esteja a olhar para qualquer lado, seja que lado for, mas que possas contemplar a todo o momento o Senhor Jesus a te proteger, a te guardar, a te socorrer, a te prover em meio às suas dúvidas existenciais, em meio aos problemas ora enfrentados, não se esqueça, Jesus nos disse, que no mundo tereis aflição, mas nos deixou uma mensagem encorajadora e poderosa, que Ele venceu o mundo, portanto, pede que tenhamos bom ânimo, pois Ele foi para o Pai, mas nos deixou um consolador, para nos ajudar em nossa caminhada cristã.

Portanto, jamais tire os seus olhos de Cristo, seja quando olhar para trás, para o passado, relembre tudo quanto o senhor tem operado em sua vida, faça como está escrito em Lamentações, que você possa trazer à sua memória, aquilo que te dá a esperança e portanto, tenha sempre em sua mente que Cristo é a nossa única esperança.

Ao Olhar para cima, você possa enxergar o escape como salmista que clamou em meio à tormenta que se encontrava, sem saída, mas soube, olhar para cima, e disse que o seu socorro virá do Senhor que fez os céus e a terra, você também pode olhar para cima e contemplar a manifestação divina sobre o seu viver.

No seu olhar para a frente, Cristo é quem peleja por nós, Ele vai na nossa frente abrindo caminhos, onde não há, aplainando-os, tirando as pedras, iluminando, dando força e direção e, ao olhar para o futuro à sua frente, você possa contemplar na esperança daquele que virá ao nosso encontro, para nos conduzir ao descanso eterno que Ele tem preparado para os santos.

Que o Senhor Jesus continue a falar melhor em cada um dos vossos corações.



No amor do Pai,



William Pessôa

21 de fevereiro de 2011

Um discípulo encorajador


Barnabé - Um discípulo encorajador atos 4.36-37

1 – Quando os discípulos estavam reunidos, perseguidos, despojados, sem recursos financeiros e acuados, ele vendeu tudo o que tinha e repartiu entre os seus irmãos de fé;

2 – Logo à frente, em atos capítulo 9.26-30 onde ele, Barnabé, encontra Saulo e o leva pela mão para Antioquia, mesmo sob a reserva e discriminação efetuada pelos outros cristãos, sobre o novo convertido “Saulo” e o apresenta como sendo o mais novo integrante e ativo missionário cristão, ou seja, foi um encorajador em meio à tribulação das perseguições, ele trouxe mais um ajudar que ele também o encorajara.

3- Já no capítulo 13. 1-3, Saiu à primeira viagem missionária com Paulo e vemos que a partir do versículo 43, já muda a posição não mais como Barnabé e Saulo, mas aparece como Paulo e Barnabé.



Queridos, nós verdadeiramente precisamos de discípulos, companheiros de oração, de caminhada cristã, que sejam encorajadores como foi Barnabé, aquele que em meio às dificuldades da vida, como a vivenciada pelos irmãos de fé, em meio às suas adversidades, às suas pesadas perseguições, é este o encorajador que se levanta sem temer, sem vacilar e se propõe a ajudar, a manter, a suprir as necessidades, sendo um voluntário na Obra e auxílio para a edificação dos necessitados. Deus sempre levanta servos encorajadores e com ânimo para prosseguirmos, com visão e estratégias espirituais para proclamar a Palavra do Reino.

Barnabé, foi este discípulo encorajador, te pergunto agora, como você tem se portado na casa de Deus, em meio à sua família cristã? Tens ajudado a suprir as necessidades, ou apenas dizendo que vai orar, quando tens a real possibilidade de suprir, suportar a dificuldade ora enfrentada? Tiago nos diz que, se temos condições de ajudar o nosso irmão e dissermos que, vamos orar e não suprirmos a necessidade daquele de nada terá valia a nossa oração, pois a fé sem obras é morta. Reflita como você tem agido perante os seus, perante aqueles que Deus tem colocado à sua volta.

Barnabé foi um discípulo que não queria aparecer, o que ele queria é fazer a vontade do Pai celestial, como você tem se portado dentro da igreja, do ministério, da sociedade, da família? Cristo tem aparecido em primeiro lugar ou você quer os holofotes da vida? Você tem se portado de maneira cristocêntrica, onde Cristo é o centro, ou de forma antropocêntrica, onde o homem, o seu eu, está sempre em evidência necessidade de reconhecimento, glórias e aplausos, reveja com cuidado.

O discípulo Barnabé, nós observamos no capítulo 13 do livro de Atos dos apóstolos, que estava ele, inserido juntos aos mestres e aos profetas da igreja reunida em Antioquia, mas Barnabé, visava o crescimento da Obra e não visava o seu engrandecimento pessoal. Quantos hoje em dia, visam o crescimento pessoal, em detrimento do crescimento do seu próximo, até sabemos, reconhecemos o chamado em vida daquele, mas o sufocamos, não damos a mão, a ajuda necessária, com medo de perdermos a posição, o destaque e até mesmo a popularidade.

Mas Barnabé, tinha visão e discernimento espiritual, que viu em Saulo algo que os outros não tinham visto, acreditou no ministério e chamado cristão na vida de Paulo, tanto que se arriscou, arriscou o seu ministério, a sua credibilidade junto aos irmãos ao trazê-lo para a igreja em Antioquia.

Onde Paulo passou a ensinar, passou a congregar e dar testemunho de fé e transformação realizada em sua vida. Foi quando o Espírito Santo separou a Barnabé e a Saulo, para realizarem a primeira viagem missionária.

Este discípulo encorajador, chamado Barnabé, vivia o autentico cristianismo e nos deixa uma grande lição a ser observada, que eu e você possamos tomar como exemplo este encorajamento que teve Barnabé, para em um momento difícil suprir as necessidades de seus irmãos e ainda mais, não só manter, mas colocar-se à disposição e trabalhar juntamente com os irmãos no ofício ora proposto, cumprindo assim, o chamado pessoal do Mestre Jesus a cada um de nós, que somos chamados de discípulos do Senhor.

Que o Senhor Jesus use de misericórdia e graça para com a sua vida, abrindo os seus olhos e ouvidos espirituais, dando a você a força, o ânimo que tanto necessita e a visão e discernimento espiritual, para que sejas verdadeiramente este discípulo encorajador, tornando-se mais um “Barnabé”.

No amor do Pai,



William Pessôa

Cuidado com os cães!




“Acautelai-vos dos cães! Acautelai-vos dos maus obreiros! Acautelai-vos da falsa circuncisão” Fil.3:2



“Pois muitos andam entre nós, dos quais, repetidas vezes, eu vos dizia e, agora, vos digo, até chorando, que são inimigos da cruz de Cristo. O destino deles é a perdição, o deus deles é o ventre, e a glória deles está ma sua infâmia, visto que só se preocupam com as coisas terrenas.” Fil.3.18-19



“E estes cães são gulosos, não se podem fartar; e eles são pastores que nada compreendem; todos eles se tornam para o seu caminho, cada um para a sua ganância, cada um por sua parte” (Isaías 56:11).



Queridos somos ovelhas de Cristo, portanto temos que ter cuidado com os cães? E ultimamente temos visto muitos rebanhos serem cuidados, não por pastores, mas cuidados por cães, imagine são irracionais, você já observou um cão sem a presença do dono, pode até estar habituado, acostumado em reunir as ovelhas e conduzi-las de volta ao aprisco, mas o faz de forma insensível e adestrada, porém não terá o cão jamais a sensibilidade, o carinho, a atenção, a dedicação e o sentimento pelas ovelhas.

O cão por sua natureza a qualquer desatenção da ovelha ele irá rosnar, morder, latir, deixando-a em desespero e descontrolado, fazendo-a dispersar ao invés de ajuntá-la ao grupo, deixando todo o rebanho assustado, estressado.

Com todo este processo ocorrido pelo rebanho que é cuidado exclusivamente por cães, pela situação estressante, as ovelhas sofrerão com perda de pesa, a lã produzida não será de boa qualidade, pois os fios serão enfraquecidos, o leite escasso e a reprodução diminuída.

Temos que ter em mente sempre Jesus Cristo como o nosso pastor, conforme relatado em S. João 10.11, que nos diz Jesus que o bom Pastor dá a vida pelas ovelhas, já o cão não, este ao ver o lobo ele corre.



Outro fato importante a ser lembrado também é que o cão ao sentir o cheiro de sangue as ovelha o seu instinto animal aflora e o seu desejo é de alimentar-se da ovelha machucada, despedaçando-a muitas vezes, mesmo estando-o já de barriga cheia, mas, isto o faz por mero prazer de aterrorizar o rebanho.



Infelizmente hoje em dia no meio do rebanho de Cristo, surgiram muitos cães travestidos de pastores, mas que pelas suas atitudes demonstram claramente suas reais intenções e personalidade, ou seja, não conseguem por muito tempo manter a máscara.



Podemos observar aqueles que não se preocupam com o alimento das ovelhas; Executam cultos antropocêntricos, onde o homem é centro das atenções, sendo o culto direcionado para o preenchimento de sua glória pessoal, não glorificando a Cristo como o deve ser; Estes cães preocupam-se mais com o lucro financeiro obtido com o rebanho, ou seja, querem gerir, administrar o rebanho como um empresa capitalista, não pelo bom desenvolvimento do rebanho, mas de seu conforto pessoal e familiar. Por este desejo desenfreado de obter lucros, são negligentes, não se apercebem o real estado e necessidade das ovelhas de seu rebanho.



Que o Senhor Jesus nos livre destes cães, que os rebanhos venham ser cuidados por pastores segundo o coração de Deus.



Já quanto aos cães que dilaceram as ovelhas, que muitas vezes, ficam em meio ao rebanho das ovelhas, travestido de pastores, ou mesmo, travestido de ovelhas, com peles de ovelha por cima, para camuflar a sua real personalidade e caráter, estes nós os conheceremos a sua recompensa, quando o Senhor Jesus se manifestar, onde Jesus dirá que jamais os conheceu, que jamais teve intimidade com estes, onde estes cães usaram o nome de Jesus para realizar milagres e maravilhas em proveito próprio.



Finalizando, percebemos claramente que estes cães são pessoas gananciosas, egocêntricas, idólatras de si mesmo, avarentos e buscando sempre o seu prazer pessoal.



Em apocalipse 22:15 o Senhor diz: “Ficarão de fora os cães...”, observem que estes não entrarão de forma alguma no céu. Querido leitor, este ofício de cuidar do rebanho de Cristo é de extrema responsabilidade. Por isso temos que vigiar e combater austeramente e, com muita propriedade, o verdadeiro pastor não pode baixar a guarda, abrir mão da verdade, modificar a doutrina e nem permitir que o povo siga doutrinas estranhas, que visam o comodismo e prazer pessoal, lembramos sempre que, as mensagens que não incomodam as pessoas, acabam por acomodá-las e deixam em seu estado de miséria e corrupção moral, que os fazem a ficar satisfeito com uma meia verdade, acreditando que, com esta meia verdade, nesta ilusão chegarão ao céu, todos iludidos pelos cães, que ao invés de conduzi-los a passagem pela porta estreita, acabam levando-os à uma porta larga.





Nós, como verdadeiras ovelhas, integrantes do rebanho cristão, estejamos sempre atentos, à voz do verdadeiro pastor, fujamos sempre destas falsas doutrinas, sempre atento com todo o cuidado com estes cães, falsos pastores que estão a enganar alguns do rebanho e a dilacerar outros tantos.



No amor do Pai,



William Pessôa.

20 de fevereiro de 2011

Viração do dia

Viração do dia



Gênesis 3:8 – Deus passeia no jardim Éden, para conversar com Adão, qual se escondera da presença de Deus, o pecado, na manifestação divina, nos esconde, nos impede que nos apresentemos a Ele, pois onde é manifesta a sua glória, é manifesta também a sua justiça, e Ele é santo, pois isso, as impurezas nos impedem de nos apresentarmos a ele, como o fez Adão.



Na viração do dia, quando Deus passeava pelo jardim, para contemplar a criação, pois sabemos que a criação glorifica ao Criador, pois nos mostram o poder que o Criador detém sobre a mesma. Observamos que Adão teve medo não de Deus, pois Ele já o temia, pois sabia que era o seu Criador, mas temeu pois estava nu, temeu a Deus pelo motivo errado, já canalizado pelo pecado praticado.

E o pecado nos cega, nos faz com que transmitamos a responsabilidade, o pecado, trazendo uma sensação de transferência de culpa, criando uma falsa sensação de alívio na consequência pelo delito ora praticado, foi o que Adão fez ao responder à pergunta do Criador, repassando a culpa para a mulher que Ele lhe dera, por conseguinte a mulher também repassou a culpa à serpente.

Então, o Criador tornou a benção que outrora tinha dado em maldição para a serpente e, para a terra por causa do homem, tanto que a terra passou a produzir cardos e abrolhos.

Na viração do dia, Deus passeia para contemplar a criação e ter uma conversa com o homem, mas o homem na viração do dia se esconde, por causa do pecado que o afasta da presença de Deus.

Outra viração de dia, ocorreu na morte de Jesus ali na cruz do Calvário, quando houve trevas da hora sexta, até a hora nona, porém, neste passeio Deus, se afastou de Jesus, por um breve período de tempo, por isso, Jesus clamou: Deus meu, Deus meu, porque me desamparaste? Imagine Jesus santo, mas Deus se afastou dele, por causa de sua justiça, de sua santidade, e Jesus naquele momento estava carregado com os meus, os seus, os nossos pecados, ou seja, Ele levou sobre si o pecado de toda a humanidade, e como Deus, não coabita, tampouco compactua com o pecado, muito menos com o pecador, por isto Deus se afastou de Jesus, pois nossa culpa, para que Nele pudéssemos ser livres e sem culpa de pecado algum, pois Jesus levou sobre si, as nossas dores, as nossas súplicas e as nossas dúvidas, até mesmo as dúvidas existenciais.

Hoje após a viração do dia ocorrida ali no Calvário andamos em liberdade de vida, somos agora prisioneiros, cativos de Cristo, mas com liberdade de vida, que só Ele, Jesus pode nos dar, e esta vida é em abundância, em refrigério, em plenitude.

Está para ocorrer uma outra viração do dia em meio à humanidade, que será a manifestação do Pai a todos os seus filhos, onde não haverá mais separação, não haverá mais tribulação, não haverá mais dificuldade, não haverá mais dificuldade. Esta viração acontecerá na volta do Senhor Jesus, quando Ele se manifestar em glória reluzente, para buscar o povo seu, zeloso e de boas obras, aqueles que foram lavados e remidos pelo sangue do cordeiro santo, seu filho unigênito derramado, consumado ali na cruz do Calvário. Onde uma vez já justificados em Cristo Jesus, seremos transformados, à semelhança do Pai, onde a nossa herança adâmica e corruptível será aniquilada de nossas vidas e, seremos então semelhantes ao Pai Eterno, voltado para tão somente Ele, cumprindo aquilo a que fomos criados, glorificarmos o seu nome para todo o sempre.

Que possamos estar preparados para esta viração do dia, que possamos não nos esconder do Pai, mas nos apresentarmos à Ele, pois o seu filho Jesus Cristo, já nos tem justificado para com o Pai e nos dado as vestes reais, nos fazendo coerdeiros do reino celestial, resgatando-nos, nos fazendo reviver espiritualmente, religando ao Pai, o que outrora fora desligado pelo pecado.

Que o Senhor Deus eterno e bondoso, continue a usar de misericórdia, falando poderosamente aos nossos corações.

No amor do Pai,

William Pessôa

O Homem segundo à semelhança de Deus e o Homem segundo à sua semelhança.

O Homem segundo à semelhança de Deus e o Homem segundo à sua semelhança.


Gênesis 1.27; 5.2

O primeiro homem, Adão foi criado por Deus, qual lhe formou do pó da terra, após, concedeu o sopro divino em seu ser e o abençoou, sendo este feito segundo à semelhança de Deus..

Já o homem criado por Adão, fora criado à imagem, semelhança de Adão e não mais de Deus, não teve a benção de Deus, por isso, é que herdamos a natureza adâmica, pecaminosa, pois humanamente fomos criados à semelhança de Adão. Não sendo criados à semelhança divina, mas humana, por isso, natureza corruptível e pecaminosa.

Observemos que o homem criado segundo à semelhança de Deus, além da benção, Deus concedeu-lhe companheira, pois, não queria que o mesmo vivesse só, mesmo com a companhia divina que desfrutava, o Senhor, concedeu-lhe uma companheira, para que pudesse dar continuidade à criação.

Quanto o homem criado à semelhança de Adão, não tinha a benção direta de Deus, e este fora obrigado a ser responsável pelo seu sustento, tinha dores, suor, sentimentos desagradáveis e dias contados na terra, o que não ocorrera com Adão, enquanto esteve o mesmo junto ao Éden sob a vontade de Deus, sendo obediente ao seu Criador.

Mas agora somos ressurretos com Cristo e em breve seremos transformados por completo na natureza espiritual, onde então será de uma vez por todas aniquilada de nossas vidas esta herança adâmica, seremos transformados, os nossos corpos voltarão ao estado original, incorruptíveis e, assim, voltaremos ao estado da inocência, esta promessa Cristo nos tem feito, resta a cada um de nós, perseverarmos na doutrina dos apóstolos, aguardando o chamado real, para adentrarmos no repouso eterno, retornarmos ao Jardim do Éden, local para o qual Deus nos criou.

Que o Senhor Jesus o ajude, querido leitor, a que você possa também ser acordado deste sono mortal da indolência e ser tocado com o sopro do Espírito Santo de Deus, fazendo-o também ressuscitar do meio dos mortos espirituais e assim viver também para Cristo eternamente, como fora criado Adão ainda no Éden, que você não venha a ceder às concupiscências da vida, às tentações que nos sobreveem, resista, você consegue e vencerás por intermédio de Cristo que em tudo foi experimentado e em nada cedeu, você consegue, agüente um pouco mais, use a Palavra, Jesus venceu às tentações pela Palavra e você também vencerá, pois Ele foi para o Pai, mas deixou para nós um consolador, que nos convence do pecado, do juízo e da justiça divina.

Que Deus continue a usar de misericórdia para com a sua vida.



No amor do Pai,



William Pessôa

A importância do esforço humano

A importância do esforço humano



“Faze-te ao largo, e lançai as vossas redes para pescar” (Lucas 5:4)



É de primordial importância, esta ordem dada por Jesus aos discípulos,, pois verificamos que com esta ordem imperiosa, pra que o milagre acontecesse Jesus não dispensou os pescadores, nem os seus barcos, tampouco as suas redes; mas tudo foi usado para pegar os peixes.



Lembro-me querido leitor de Moisés, ao ser indagado por Deus lá na sarça ardente, você lembra da história? Deus pergunta a Moisés o que é que ele tem na mão e ele responde um cajado? Pois percebemos a importância daquele cajado nas mãos de Moisés, recordo-me também dos filhos do ofício de profeta, quando desceram ao rio, para buscar madeira, para ampliar a casa e, perderam o machado.



Querido para Deus trabalhar em sua vida, realizar milagres, Deus vai usar aquilo que você tem, por mais que pareça que não seja nada de valor algum, algo insignificante, mas é ai que Deus quer manifestar a sua glória, Deus quer te usar também mesmo desta forma que você mesmo se diz “insignificante” de pouca instrução bíblica, para salvar almas, Deus opera através de instrumentos e, ainda que o regime da graça permaneça, Deus se agradará com a loucura da pregação para salvar os que crêem, ou seja, para salvar àqueles que à Ele aprouver, pois o querer e o efetuar pertencem tão somente ao Pai das Luzes, aquele em que não há variação alguma, à Ele a glória, o poder e o louvor para todo o sempre. Quando Deus opera sem instrumentos, sem dúvida, Ele é glorificado; mas Ele mesmo escolheu a instrumentalidade como meio para ser ainda mais engrandecido na terra. Os meios em si mesmos são totalmente inúteis.



Observemos queridos que aqui, os discípulos eram profissionais experimentados nas mais difíceis situações e, se não haviam pescado é que realmente todos os seus esforços humanos, profissionais e seus conhecimentos e experiências foram utilizados, mas todos frustrados, tanto que responderam a Jesus, Mestre trabalhamos a noite toda, estamos cansados, desapontados, pois nada apanhamos.



Quantas vezes não investimos tudo, colocamos todo o nosso esforço e conhecimento em algo que estamos habituados a lidar e fracassamos, mas Jesus aparece, em meio ao nosso cansaço, e nos dá o alento. Querido leitor, cuidado pois neste seu cansaço, poderás ficar cego temporiamente e perder a benção, lembra-se de Esaú onde por causa do cansaço, trocou a benção da primogenitura por um pra to lentilhas, não troque a sua benção por nada.



Se você tem tentado e não tens conseguido êxito algum, Jesus também diz a você neste momento, o mesmo que disse aos discípulos: Volte para o meio da dificuldade e tente novamente, será que com esta ordem imperiosa de Jesus, você tem coragem, fé suficiente para fazer mais uma tentativa? Ouse agora pelo poder que no nome de Jesus e vá em frente, pois Ele é contigo!



Lembre-se que os discípulos também disseram a Jesus, Mestre sob a sua palavras, nós iremos, eles acreditaram no nas palavras de Jesus que você também possa acreditar nas palavras de Jesus e voltar com ousadia, para o meio de sua dificuldade e encarar o seu problema, que frutos, que “peixes” você conseguirá obter nesta sua nova empreitada.



O segredo de você retornar e voltar vitorioso é que agora você indo com a autorização, ordem expressa de Jesus, e então você não irá mais só, pois o Seu Espírito te acompanhará, para te fazer vencedor em meio às turbulências desta vida.



Querido Leitor lembre-se que: “Sem Ele nada podemos fazer”. Mas, com Cristo, podemos todas as coisas. A presença de Cristo confere êxito. Deixe você também com que Jesus use o seu barco, ali havia vários barcos para serem usados, mas Jesus escolheu e hoje, Ele escolhe a sua vida, o seu barquinho, para que após Ele ser glorificado, ser realizada a vontade do Pai, você possa vivenciar o milagre acontecer em sua vida. Você compreende?



Querido lance as suas redes, coloque aquilo que você tem nas mãos para o serviço cristão e, após, você glorificá-lo em sua vida e, isto deve ocorrer de forma voluntária e contrita, vivenciarás o milagre jorrar em seu viver.



Que o Senhor Jesus continue a falar poderosamente em os nossos corações, usando os nossos barquinhos à seu serviço real.



No amor do Pai,



William Pessôa.

19 de fevereiro de 2011

As três fases da vida humana

As três fases da vida humana


Efésios 2.1-5 “Ele vos deu vida, estando vós mortos nos vossos delitos e pecados, nos quais andastes outrora, segundo o curso deste mundo, segundo o príncipe da potestade do ar, do espírito que agora atua nos filhos da desobediência; entre os quais também todos nós andamos outrora, segundo as inclinações da nossa carne, fazendo a vontade da carne e dos pensamentos, e éramos, por natureza, filhos da ira, como também os demais. Mas Deus, sendo rico em misericórdia, por causa do grande amor com que nos amou, e estando nós mortos em nossos delitos, nos deu vida juntamente com Cristo, pela graça sois salvos.

Primeira fase da vida humana

Andávamos morto em nossos pecados e delitos, andávamos segundo o curso deste mundo corruptível, segundo às paixões carnais, satisfazendo os desejos vontades da carne, que foram herdados pela natureza adâmica e pecaminosa, desobedecendo à Deus, andando em obediência ao espírito do príncipe da potestade do ar, como verdadeiros filhos da ira.

No versículo 12 do mesmo capítulo acima apontado, observamos que andávamos sem Cristo e sem Deus, não tínhamos esperança alguma, éramos separados e estranhos à promessa divina.

Segunda fase da vida humana

Mas graças ao bom Deus, por intermédio de Seu filho, Cristo Jesus, nos conduziu para a segunda fase do homem cristão.

Cristo Jesus nos vivificou, nos deu vida, vida eterna, através de sua graça, que é um favor imerecido, ou seja, não merecíamos nada, mas mesmo assim, Ele, Jesus, nos amou com um amor incondicional, que deu a sua própria vida como sinal de gratidão a nós.

Passamos a não mais sermos filhos da ira, mas sim, passamos a ser chamados de filhos de Deus, conforme preceituado em Romanos 8.15, onde nos afirma que recebemos o espírito de adoção, onde passamos a clamar: “Aba, Pai”, ou seja, paizinho querido, fomos adotados por meio de Cristo Jesus, nos tornamos herdeiros reais.

Jesus nos diz que aquele que ouve a Sua palavra e crê naquele que o enviou, tem a vida eterna, não entra em juízo e passou da morte para a vida, isto relatado no evangelho de S. João 5.24, onde Jesus nos deu a vida e, vida eterna com Ele.

Terceira fase da vida humana

É que seremos semelhantes à ele, pois hoje ainda somos feitos à semelhança de Adão, veja em Gênesis 5.3, por isso, que devemos ser imitadores de Cristo, pois Nele fomos adotados, na primeira espístola de São João 1.3, nos afirma que quando Ele se manifestar, seremos semelhantes à Ele e assim como Ele é o veremos.

E se passamos a ser filhos de Deus, pela adoção em Cristo Jesus, então por conseqüência, passamos também a sermos herdeiros do reino celestial, em Romanos 8.17, diz que somos herdeiros de Deus, coerdeiros com Cristo. Que possamos glorificar ao Senhor por tão boa dádiva á nos concedida de maneira imerecida, através da sua graça redentora.

Por conseguinte, após estas três fases, a que éramos, a que somos e a que seremos em Cristo Jesus, devemos nos esforçar sendo de maneira voluntária, como recomenda o apóstolo Paulo na carta aos Romanos 12.1, que em nossa dedicação à Deus, apresentamos o nosso corpo por sacrifício vivo, santo e agradável à Deus, que é o vosso culto racional.

Assim sendo, devemos também pensar se somos herdeiros, nas coisas lá do alto, e este pensar deve ser constante, conforme escrito está em Colossences 3.2. Por isso deveremos estar separados do mundo, não nos contaminando, pois somos templo e morada do Espírito Santo de Deus, devemos estar esperando ansiosamente de forma pronta e alegre por sua volta, pois não somos deste mundo, mas pertencemos à Cristo, Ele nos comprou, nos fazendo um povo eleitos Nele, zelosos e de boas obras.

Que o Senhor continue a falar poderosamente em os vossos corações, que possas compreender estas três fases na vida do homem.

No amor do Pai,

William Pessôa





Você está usando a roupa certa para o casamento?

Você está usando a roupa certa para o casamento?


Queridos observemos o texto em Mateus 22.11-12, que nos diz: “Entrando, porém , o rei para ver os que estavam à mesa, notou ali um homem que não usava a veste, roupa nupcial e perguntou-lhe: Amigo, como entraste aqui sem a roupa nupcial? E ele emudeceu”.

Observemos que a bondade do Senhor é estendida a todos os homens nesta parábola, e antes de adentrarmos melhor ao assunto abordado, notemos que mesmo sem a veste nupcial, o rei ainda chama o desconhecido convidado de amigo.

Chama de amigo um desconhecido, que mesmo recebendo o convite, que prontamente atendeu, não sabemos se de forma voluntário ou movido por uma mera emoção, de preencher o seu ego, para apenas entrar no palácio e saborear as delícias da mesa do rei, sentir-se importante.

Mas este convidado não atentou para o detalhe, vejamos que ele se esforçou, abriu mão de seus afazeres, investiu o seu tempo para estar na festa do rei, imaginemos uma festa de casamento em um palácio e ainda mais, sendo um casamento da família real, você consegue imaginar o luxo, o investimento, a beleza do lugar, a fineza, a delicadeza estampada seja na ornamentação, como até nos serviçais?

Mas o convidado emocionado, preocupado quem sabe, apenas em adentrar no palácio, em comer das delícias da mesa do rei, acabou se esquecendo da vestimenta obrigatória para a festividade. Observemos com atenção que este o foi provavelmente de forma voluntária, espontânea, era atencioso, mas não diligente e prudente ao seguir as instruções para participar do evento.

Este convidado se contentou apenas com o convite ganho para participar do banquete real, espero amigo leitor que você possa compreender a profundidade desta mensagem, quantas pessoas reconhecem o Senhor Jesus como sendo o seu único e suficiente Salvador e dão pro satisfeitas, não se esforçam para obter o traje, a vestimenta real para ser usada nas bodas nupciais .

Não nos esqueçamos que, ao aceitarmos o convite que é feito pelo rei á toda humanidade, a maioria não responde, não aceita, recusam, e alguns que aceitam, aceitam por aceitar, não diligenciam, para apresentar-se ao rei, uma oportunidade riquíssima e de suma importância para qualquer súdito real.

O convidado emudeceu à pergunta do rei, pois na presença do rei, todos tremem e temem, na vida espiritual onde se manifesta a presença, a glória de Deus, manifesta também a sua justiça, o seu poder, por isso, diante do poderio do rei, o convidado emudeceu. Veja que o convidado emudeceu.

Foi convidado, reafirmo novamente, porém esqueceu-se tão somente da veste necessária para participar do banquete, o que nos faz refletir que a nossas vestes da salvação eterna, a qual usaremos na presença de Deus, nos são dadas por intermédio de Cristo Jesus, que é o nosso mediador para com o Pai.

Não adianta, termos boa vontade, praticarmos boas ações, sermos voluntários, realizarmos ações sociais para com o próximo, se verdadeiramente, não o fizermos sob a atenção cuidadosa do convite, que é extensivo à todos.

Certo pregador, atribuiu o traje da festa como sendo o descrito por Paulo, na sua recomendação na carta à Timóteo, capítulo 1, versículo 5, que afirmava que o amor precede de um coração puro, de consciência boa e de fé sem hipocrisia, ou seja, o traje da festa, a vestimenta obrigatória a todos é o amor.

Então temos em mente que o convidado, estava no lugar certo, na hora certa, porém sem a intenção de amor ao rei, a verdadeira intenção do convidado ao participar do banquete era apenas de preencher o seu ego de ver e ser visto pelos demais, mas em nenhum momento com todo o seu cuidado e preocupação para participar do evento, esqueceu que para lá estar deveria amar o rei, e esquecendo-se também que o rei sonda os nossos corações.

Paulo na sua primeira carta aos irmãos ali em Corinto, no capítulo 13, durante todo o capítulo ele fala sobre a importância do uso desta vestimenta, o amor na vida do convidado real, tanto que Paulo encerra o capítulo, dizendo que, na permanência da fé, da esperança e do amor, a maior permanência que devemos ter é a do amor ao rei, então querido leitor, continue amando ao rei, acima de todas as coisas, acima da crença, que é a fé, acima da esperança, do sonho, o ame por aquilo que Ele é, por todas as coisas, mas todas e sobre todas as coisas devemos amá-lo de coração. O que ocorre na realidade é que a maioria dos convidados, amam ao rei “SOB” todas as coisas, por isso perdem as vestimenta, o traje que é essencial para participar do banquete real.

Vejamos que o rei bondoso e justo, ainda chamou o convidado de amigo, ou seja, não fez distinção alguma deste para com os demais, mas na presença do rei, todos tremem, e o convidado tremeu e emudeceu, diz a Palavra, pois, foi manifesta a sua justiça na vida daquele convidado, que justificativa alguma pode apresentar ao rei.

Que convite simples fora feito àquelas pessoas, para que usassem como vestimenta apenas o amor ao rei e este amor ao rei era dado por uma veste real, que são as veste de salvação lavadas e purificados no sangue do cordeiro, que Jesus nos dá conforme vemos relatada na Bíblia Sagrada.

Mas infelizmente alguns que se deixam levar pelas concupiscências da vida, acabam por ceder aos desejos carnais e vão participar sem exercitar o amor ao rei, ao noivo, querem apenas banquetear-se festejar-se, sem se alegrar com o rei, sem se comprometer com a festividade, querem apenas estar envolvidos, no meio, para satisfação pessoal própria, encher o seu ego, não para realmente ser participante da festa real que fora convidado, mesmo sem merecer, sem o rei o conhecer, mas mesmo assim, o rei de bom grado mandou que buscassem e trouxessem à sua presença.

Mas muitos acomodam-se em suas situações de miseráveis, angustiados fazendo disto um estilo de vida, que até recebem o convite do rei, atendem, mas não reconhecem o amor do rei por estes, que acham que são merecedores do reconhecimento do rei, não atentando para agradecê-lo como realmente deve ser agradecido, amando-o acima de todas as coisas.

O convidado agradeceu por ser participante do banquete real, mas não por estar na presença do rei, desfrutar da companhia do rei, da intimidade do rei, sim, pois sentaria junto à mesa do rei, você compreende o nível a que foi colocado o convidado?

Mas mesmo assim este convidado não usou desta recomendação, qual fora ratificada por Jesus acerca dos mandamentos dados por Deus à Moisés para serem entregues ao povo israelita: Amar à Deus acima de todas as coisas e com todo o teu coração e ao próximo como a ti mesmo.

Este era o traje necessário para ser participante do banquete real, o amor ao rei, como você tem amado ao Rei? De todo o teu coração, com todas as tuas forças, com todo o teu entendimento, com todo o seu sentimento e alma? Ou o tens amado apenas pelas bênçãos? Reveja sua maneira de agir para com o convite, para com o chamado efetuado pelo rei, diretamente à sua vida.

O chamado do rei é pessoal, tanto que a pergunta foi feita diretamente pelo rei ao convidado. Que Deus, o nosso eterno rei imutável, use de misericórdia para com a sua vida, concedendo-lhe a oportunidade de rever os seus conceitos pessoais e, sua conduta para com o convite, para com o chamado real que foi gratuitamente ofertado a você. Não se esqueça você também é um convidado!

O casamento já está marcado, a hora, o dia eu não sei te informar, mas você assim como aconteceu comigo, também já tens recebido o convite, portanto, não se esqueça do traje que é essencial para a festa real. A vestimenta Cristo, que é o nosso noivo, isto já nos deu, que são as vestes da salvação e, se estamos em verdadeiramente em Cristo, Cristo é a vida e, Cristo é o amor, então por semelhança, seguindo a recomendação de Paulo para sermos imitadores de Cristo, o amor de Cristo brotará em os nossos corações e assim conseguiremos com a ajuda divina de seu filho Jesus, temos o mesmo amor que Ele, Jesus, tem para com o rei eterno.

Que você querido leitor possas desfrutar também deste amor glorioso que o Senhor Jesus implanta em os nossos corações, concomitantemente com as vestes da salvação. Uma vez recebida as vestes da salvação, zele delas, pois assim o fazendo para que as mesmas não se sujem, você exercitará o amor à Jesus e ao Rei e isto transformará por completo o seu ser.

Que o Senhor Jesus continue a falar poderosamente ao seu coração.

No amor do Pai,



William Pessôa